sexta-feira, junho 13, 2008

O Homem do Leme


Sozinho na noite
um barco ruma para onde vai.
Uma luz no escuro brilha a direito
ofusca as demais.


E mais que uma onda, mais que uma maré...
Tentaram prendê-lo impor-lhe uma fé...
Mas, vogando à vontade, rompendo a saudade,
vai quem já nada teme, vai o homem do leme...


E uma vontade de rir nasce do fundo do ser.
E uma vontade de ir, correr o mundo e partir,
a vida é sempre a perder...


No fundo do marjazem os outros, os que lá ficaram.
Em dias cinzentos
descanso eterno lá encontraram.


E mais que uma onda, mais que uma maré...
Tentaram prendê-lo, impor-lhe uma fé...
Mas, vogando à vontade, rompendo a saudade,
vai quem já nada teme, vai o homem do leme...


E uma vontade de rir nasce do fundo do ser.
E uma vontade de ir, correr o mundo e partir,
a vida é sempre a perder...


No fundo horizonte
sopra o murmúrio para onde vai.
No fundo do tempo
foge o futuro, é tarde demais...


E uma vontade de rir nasce do fundo do ser.
E uma vontade de ir, correr o mundo e partir,
a vida é sempre a perder
Xutos & Pontapés - O Homem do Leme

2 comentários:

Café com Natas disse...

Espectacular o conjunto da música com esta foto ao pôr-do-sol.
Lindo!
Dá para sentir o cansaço das ondas...

Um beijinho

Cigana disse...

Apelo de solidariedade ao povo do norte! Agradeço a generosidade típica da nossa gente. Colaborem e divulguem:

http://trazoutroamigotambem.blogs.sapo.pt/70182.html